22 de out de 2011

Vamos parar o Brasil e marchar em Brasília





Expectativa é de que mais de 10 mil saiam às ruas de Brasília. Marcha vai reunir trabalhadores, estudantes e movimentos sociais
A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) organiza para o próximo dia 26 de outubro, quarta-feira, grande mobilização nacional em Brasília para reivindicar 10% do PIB para educação, bandeira que os estudantes também lutam por sua aprovação no Congresso Nacional. A marcha pretende reunir mais de 10 mil pessoas.
A concentração da marcha está marcada para as 9h, em frente ao estádio Mané Garrincha. De lá, os manifestantes caminharão até o Congresso Nacional para a realização de um grande ato.
A principal reivindicação da CNTE diz respeito a salários melhores para os educadores, mas, de acordo com o presidente da Confederação, Roberto leão, investir em infraestrutura nas escolas e universidades do país também é um prioridade: “Precisamos de melhores condições em bibliotecas e laboratórios, por exemplo, para aumentar o incentivo à pesquisa”, comentou.
O presidente da UNE, Daniel Iliescu, aponta como principal objetivol do aumento do investimento em educação a erradicação do analfabetismo. Ele completa: “E todo esse dinheiro deverá ser destinado para melhorar a estrutura das escolas, o pagamento de salário digno aos professores, a excelência do ensino público na periferia das cidades e nas zonas rurais de todos os municípios, além da ampliação do acesso e da qualidade nas universidades para todas e todos”.
Em frente ao congresso, também, estarão expostos trabalhos de alunos de estudantes de escolas públicas, feitos para uma mostra cultural organizada pela CNTE, com o tema “Por que 10% do PIB para a Educação Pública?”.

COLETA DE ASSINATURAS POR 10% DO PIB PARA EDUCAÇÃO

No dia 26, a CNTE pretende, ainda, entregar ao presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, e ao relator do Plano Nacional de Educação (PNE), Deputado Ângelo Vanhoni, cem mil assinaturas de apoio à destinação de 10% do PIB para a educação pública brasileira.
As assinaturas vêm sendo coletadas nacionalmente há mais de um mês. Para essa mobilização, a CNTE e suas 43 entidades filiadas estão utilizando cartões de assinatura. A CNTE estará na próxima segunda-feira, dia 24 de outubro, com um stand na rodoviária de Brasília para recolher assinaturas. Interessados em participar de outros estados, devem procurar os sindicatos filiados à entidade.
Atualmente, o governo brasileiro investe no setor de educação uma quantia equivalente a cerca de 5% do PIB. O texto do PNE, em tramitação no Congresso, tem como meta de investimentos aumentar essa porcentagem para penas 7% . “Consideramos que pra fazer educação de qualidade em um país como o Brasil, há de ser ter um grande investimento. 10% é o mínimo”, afirma Leão.
A União Nacional dos Estudantes (UNE) também tem como principal bandeira de luta a destinação de 10% do PIB, juntamente com a destinação de 50% do Fundo Social do Pré-Sal, para educação. “10% do PIB é uma bandeira muito poderosa. Não é só do movimento educacional, tem relação com o projeto de futuro que a gente quer debater para o Brasil”, comentou o presidente da entidade, Daniel Iliescu.
Para dar força a essa luta, a entidade lançou, junto com a UBES e com a ANPG, no último dia 11 de outubro, uma campanha nacional de abaixo-assinado “Educação 10” , que já conta com mais de 3 mil  assinaturas. Para participar, clique aqui.
Da Redação

Nenhum comentário:

Postar um comentário