27 de jul de 2011

Ano internacional da juventude


Representantes do Conjuve irão debater experiências como Projovem e Brasil sem Miséria.

Nesta segunda e terça-feira (25 e 26 de julho) está sendo realizado,  em Nova Iorque, o Encontro de Alto Nível das Nações Unidas sobre a Juventude, marcando mais uma celebração do ano internacional dedicado ao segmento. Com o tema “Juventude: Diálogo e compreensão mútua”, o evento  contará com participantes de governos, ONGs e entidades da sociedade civil de diversos países. O Brasil estará representado pela secretária nacional de Juventude, Severine Macedo, e pelo presidente do Conselho Nacional de Juventude, Gabriel Medina. Com o apoiio do Fundo de População das Nações Unidas (UNFA), a secretária fará uma apresentação das ações e programas de cooperação desenvolvidos pelo governo para o público juvenil.
 
Segundo Severine Macedo, esta será uma boa oportunidade de o país mostrar o que vem realizando em prol da agenda juvenil. “Nossa expectativa é debater experiências como o Projovem e outras questões relevantes, como a participação social” e a Agenda de Trabalho Decente para a Juventude. Além das iniciativas específicas para o público juvenil, a reunião discutirá algumas políticas de Estado, a exemplo do programa “Brasil Sem Miséria”.

De acordo com os organizadores, a reunião acontece às vésperas do fim do Ano Internacional da Juventude (agosto de 2010 a agosto de 2011) com o intuito de colocar em pauta temas como cooperação internacional, participação ativa dos jovens e desafios para o seu desenvolvimento. O Encontro de Alto Nível, idealizada pela Assembleia-Geral da ONU, em março de 2011, será composto por duas mesas redondas, no dia 25/7, e duas plenárias, que serão realizadas no dia 26.

Em dezembro de 2009, a Assembleia-Geral das Nações Unidas aprovou a Resolução 64/134, proclamando o período de agosto de 2010 a agosto de 2011 como o Ano Internacional da Juventude, com o objetico de encorajar o diálogo e a compreensão entre gerações e estimular os jovens a promoverem o progresso, com ênfase nas Metas do Desenvolvimento do Milênio. Com a iniciativa, a ONU reforçou o tema em nível internacional, por meio de uma vasta programação,que incluiu uma conferência global, realizada no México no ano passado. A Conferência do México foi precedida da Pré-Conferência das Américas, organizada pelo Brasil, em reconhecimento à atuação do país nessa área. O evento foi realizado em maio de 2010, na cidade de Salvador (BA), com a presença de 26 países das Américas, além da Espanha e França, que participaram na condição de observadores.

Para vencer o desafio da inclusão, o governo brasileiro criou programas específicos para a juventude, a exemplo do Programa Nacional de Inclusão de Jovens (Projovem), que oferece elevação de escolaridade, capacitação profissional e inclusão digital, além de um auxílio financeiro mensal. Criado em 2008, o Programa atua nas modalidades Projovem Urbano; Projovem Campo; Projovem Adolescente  e o Projovem Trabalhador. De 2008 a 2010, a iniciativa atendeu mais de 2 milhões de jovens em todo o país.

Para Severine Macedo, “a experiência de ter um programa direcionado para jovens, que integra elevação de escolaridade, qualificação profissional e participação cidadã, demonstra que é possível assegurar a inclusão dos jovens que vivem hoje em uma situação de vulnerabilidade social. Além do Projovem, diversos outros programas contribuem para esse objetivo, a exemplo do Prouni, que assegura o acesso dos jovens às instituições de ensino superior privado, por meio da concessão de bolsas, e de políticas estruturais, como os investimentos na criação de escolas técnicas.

Por Conjuve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário