19 de out de 2010

Dilma recebe apoio de artistas e intelectuais






Ato político no Rio de Janeiro contou com a participação de diversas personalidades e simboliza novo rumo da campanha.

Encabeçado pelo filósofo Leonardo Boff e pelo cantor, compositor e escritor Chico Buarque, o Ato Político de artistas e intelectuais em prol de Dilma Rousseff presidente, realizado no dia 18 de outubro no Rio de Janeiro, simboliza um marco importante na campanha. Depois de contar com o apoio maciço da juventude, dos estudantes e dos professores no último dia 15, a mobilização em favor da continuidade das mudanças do governo Lula ganha cada vez mais corpo às vésperas da votação.

Foram mais de mil pessoas, entre militantes, professores, cantores, atores e intelectuais, presentes ao Ato. Nomes como Oscar Niemeyer, Beth Carvalho, Alcione, Leci Brandão, Alceu Valença, Hugo Carvana, Margareth Menezes, Chico César, Emir Sader, Antônio Pitanga, Cristina Pereira, Paulo Betti, Osmar Prado, Tom Zé, Marieta Severo, Lucélia Santos e tantas outras estrelas pisaram no Teatro Casa Grande, na capital fluminense, para demonstrar que estão juntos pelo Brasil com Dilma e contra o ódio e a mentira da campanha oposicionista.

O discurso mais contundente foi feito pelo escritor Fernando Morais: “sou brasileiro e quero o Brasil nas mãos dos brasileiros. Eu sou contra a privatização canibal que esses tucanos fizeram e sei o mal que o José Serra pode fazer para o Brasil”. Dilma manteve o tom de Morais e lembrou a importância do pré-sal ao país, cuja entrega a empresas estrangeiras é iminente na ocorrência de um governo tucano. Ela firmou também mais um compromisso de campanha: “O meu compromisso é erradicar a pobreza no Brasil. Ninguém respeita quem deixa uma parte de seu povo na miséria”.

Vox Populi aponta recuperação – Na toada de crescimento da candidatura de Dilma, o Vox Populi divulgou pesquisa nesta segunda-feira, apontando a petista com 51%, contra 39% de Serra. A vantagem subiu para 14 pontos e nos votos válidos o placar mostra 57% a 43%. O destaque fica por conta do cenário extremamente favorável a Dilma no nordeste (65% a 28%), entre os mais pobres (61% a 31%) e entre homens (54% a 38%) e mulheres (48% a 40%). Isso sinaliza que o trabalho iniciado pela militância começa a surtir efeito e que as atividades de campanha não podem cessar até o último minuto.

Mais em www.ujs.org.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário